Notícias
Católicos vão à orla para celebrar a vida


27/09/2010 - Jornal do Commercio | Cidades

Movimento convocado pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, levou multidão à Avenida Boa Viagem. Fiéis pediram a criminalização do aborto e o combate à violência e às drogas

Uma caminhada a favor da vida levou milhares de católicos à Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, durante a manhã de ontem. Cinco trios elétricos animaram fiéis das 103 paróquias do Estado enquanto eles andavam pela via segurando cartazes que pediam, entre outras coisas, a criminalização do aborto, a redução da violência e o combate às drogas. Milhares de pessoas participaram do evento. Segundo a Polícia Militar, que estimou a presença de quatro mil pessoas, nenhuma ocorrência foi registrada. O evento foi promovido pela Arquidiocese de Olinda e Recife e teve a presença do arcebispo dom Fernando Saburido, que caminhou pela avenida ao lado do público.

A Caminhada Arquidiocesana Sim à Vida, que, este ano, aconteceu pelo quarto ano seguido, foi uma preparação para a Semana da Vida, que começa na sexta-feira e vai até o dia 7 de outubro. A celebração é promovida pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para agradecer e lembrar o valor do dom que receberam de Deus. “É um momento dos católicos para celebrar o homem e o meio ambiente e também pedir mudanças para as ações que ferem o direito à vida. Este ano, convidamos também outras religiões para participar da nossa mobilização”, explicou Saburido, entre cumprimentos e fotos com os fiéis.

Nem a ameaça de chuva fez a multidão desanimar. Durante toda a caminhada, desde o Edifício Castelinho até o 2º Jardim, um percurso de aproximadamente três quilômetros, as pessoas cantaram e dançaram músicas que louvam os princípios e os santos da fé católica. O ritmo lento dos trios, que, às vezes, paravam, permitia que pessoas de todas as idades acompanhassem a festa.

“Acho que é um incentivo muito importante para a fé católica e, principalmente, para os jovens”, opinou a estudante Lídia Rejane, 16, que veio de Nossa Senhora do Ó, no município de Ipojuca, Região Metropolitana do Recife (RMR), para participar da caminhada com os amigos. Já o calçadão serviu de apoio para quem precisava de um descanso. “Eu venho desde o primeiro ano e está cada vez melhor. É uma oportunidade de celebrar a fé, a união e a igualdade”, afirmou a professora aposentada Socorro Cavalcanti Samuel, 62 anos, que cuidava de uma das netas pequenas.

Outras Notícias: